ITENS MÁGICOS

Apesar da aparência jovial a Srta. Katryna Mithral, é uma feiticeira com mais de 100 anos de idade. Com uma personalidade extremamente vaidosa e ambiciosa a feiticeira passa sua vida em busca de riquesas e juventude. Seu maior prazer é viver a vida com glamour, luxo e ostentação. Ao longo dos anos dedicou-se a encontrar os objetos mágicos mais raros de Asterium, prncipalmente aqueles que tem maior valor e são capazes de magias rejuvenecedoras. Recentemente foi encontrado em sua biblioteca um diário, onde a feiticeira descreve com detalhes alguns dos itens mágicos de sua maior admiração. Não se engane, por sua aparência A Srta. Mithral não é flor que se cheire.

Os Anéis de Johnny Bleas. Os anéis prateados de Johnny Bleas, são difíceis de se encontrar, mas não tão raros. São objetos criados por muitas das ordens dos magos e feiticeiros de Asterium. Poucos kromus usam os anéis, geralmente são dados aos aprendizes que ainda tem dificuldades de concentração. Os anéis funcionam como canalizadores de energia, por isso algumas vezes esquentam nas mãos. No início das magias conjuradas eles elevam o nível de energia, desta maneira o portador não precisa se concentrar tanto para elaborar o encantamento.

 

O Pingente de Johnny Bleas. Provavelmente um dos itens mágicos mais poderosos de Asterium. Criado pelos ferreiros de Forhcore, o pingente que Johnny Bleas carregou desde a infância carrega um pequeno fragmento do coração de Asterium. O fragmento, porém, deveria ficar na diadema da rainha, mas por amor ao filho Sofia, pediu ao ferreiro que colocasse o pequeno fragmento no pingente de seu filho.

 

A Espada de Kourem Bleas. A lendária e temida espada do paladino decaído, foi forjada nas montanhas de Farkon, e por décadas ficou sob a posse do líder dos paladinos, Parthur. Dizem que após a morte do paladino a espada que fora enterrada em sua lápide sumiu. Anos depois o necromante Morkay apareceu com a espada em mãos, contudo a espada tinha agora outra aparência, havia sido enfeitiçado, sua lâmina tornara-se negra como a noite e o necromante foi capaz de dar a espada o poder do ceifador. A lendária espada agora tinha o poder de sugar a energia vital dos alvos de quem a dominava. De acordo com a lenda, os poderes da espada deveriam ser usados com cautela até que a espada se adaptasse ao seu novo portador. Dizem que após a batalha de Sordek e Menay quando o Rei Darius baniu o necromante a espada ficou sob os cuidados de seu fiel servo, o necromante Zarbuk, que depois presenteou Kourem Bleas com a espada maldita, quando recebeu o título de Lorde paladino das terras do Sul.

 

A Coroa da Rainha.Também forjada pelo ferreiro de Forhcore, a coroa, ou diadema da rainha de Forhcore. Além de ser um objeto de grande valor devido a sua fundição em ouro maciço e pedras preciosas ela tem uma imperfeição, que depois é ajustada, onde ficaria o pequeno fragmento do coração de Asterium. Apesar de não ser um objeto mágico é uma relíquia única, de beleza e exuberância sem igual na dimensão de Asterium.

 

A Moeda de Anikan.A moeda de Anikan é um objeto simples, porém único. A moeda de latão com borda dourada, foi criada pelo kromus Filay Krapef Volterin em tempos antigos. Não tem um poder muito grandioso, em sua borda existe uma pequena descrição que diz:“Hinay Funkal Shinchlum Anikan”Esta frase era usada pelo kromus Filay para se concentrar em seus tempos de aprendizado da magia. Usado principalmente para a conjuração de magias elementais, fazendo com que a energia flua com mais facilidade pelo corpo do conjurador.

 

O Cachimbo do Sr. Colin Case.Quase ninguém sabe, mas os Case sempre tiveram um meio viajar para Asterium, um portal criado de um singelo objeto, o cachimbo de madeira do Sr. Case. Com a imagem de um belo navio pirata na lateral o cachimbo tem uma poderosa magia, que dá ao portador o poder de criar um portal entre as dimensões de Neifs e Asterium. O segredo do cachimbo está em sua fumaça, há muitos anos atrás quando o Sr. Case se casou com a Srta. Marta Case, irmã mais velha de Sofia Bleas. Ele recebeu a responsabilidade de proteger a esposa e mantê-la a salvo em Neifs. Mas a qualquer momento poderia abrir um portal, mas teria de acender o cachimbo com a chama dos acendedores de Forhcore, e assim que o cachimbo ascendesse deveria soprar a fumaça depois de falar o nome do barco em voz alta. “Chave dos Mundos”.

 

A Adaga de Zarbuk.Todo necromante guarda consigo um punhal ou uma adaga. Zarbuk não é diferente, seu punhal com pomo de ossos e lâmina de cobre é sempre usado em seus feitiços. Os necromantes na maioria das vezes utilizam suas adagas para feitiços com sangue, ou que necessitem algum tipo de sacrifício de animais, na maioria das vezes corvos.Grimus, o grimório. Grimus é um objeto mágico especial, como se fosse um personagem, tem vontade própria e seu propósito é fazer com que Johnny Bleas sempre estude mais. Ele é um ótimo companheiro, um pouco cansativo as vezes, mas extremamente sábio. Conhecedor de muitas magias e encantamentos. Grimus foi criado por Johnny Bleas, durante sua viagem para as ilhas Lunarium. Antes de ser animado Grimus era apenas um simples grimório.

 

O Coração de Asterium.O coração de Asterium não apenas é a relíquia mais preciosa de Asterium, como também é objeto de maior magia e poder já criado. A pedra de poder foi criada pelos maiores magos, bruxos, feiticeiros e kromus da história. A relíquia foi criada sob o governo do rei Minestray de Hulmorg, o primeiro de sua linhagem. O rei da raça dos humanos era grande aliado dos elfos, anões, elementais, ninfas, duendes, fadas e a grande maioria das criaturas mágicas de Asterium. Em sua fundição a pedra de poder ficou no poder deste rei e seria passada por gerações, sempre com a aprovação do conselho de Forhcore, um conselho formado por líderes de todas as raças e povos. O rei regente só seria escolhido pela aprovação deste grande conselho. Contudo ao passar dos anos a ambição dos homens, a ganancia dos anões e o tradicionalismo extremista dos elfos deixou de ter harmonia e o coração de Asterium passou a ser visto como um item de poder exagerado que não deveria estar sobre o poder de ninguém. Nem mesmo do rei regente. Foi então que em unanimidade o conselho escolhe quebrar o coração em fragmentos e guarda-lo nos lugares mais distantes das terras de Asterium, protegidos por magias, armadilhas e pelos escudos de poder. Dizem que o poder do coração de Asterium é tão grande que é capaz de destruir toda uma cidade em apenas alguns minutos de sua magia ou até mesmo reviver o que está morto, se aplicada para o mal. Contudo se aplicada para o bem é até mesmo capaz de trazer harmonia de volta a todos os povos.

 

O Dirigível Aurora Branca.O antigo dirigível do capitão Irvin, foi criado pelo alquimista Sr. Kiwel, da cidade portuária de Primaki Sul. O dirigível foi batizado por seu capitão com o nome de Aurora Branca em homenagem a sua última esposa Aurora, que tinha a pele branca como a neve. O transporte aéreo passou por muitas aventuras e viajou por muitos países do mundo de Asterium. Contudo o majestoso transporte foi atacado e queimado no arquipélago de Tâmarus, onde foi visto pela última vez.

 

O Dirigível Katrina do Alto.O transporte aéreo mais veloz já criado em Asterium foi criado pelo famoso alquimista de Primaki Sul. Sr. Minur Kiwel. O aeróstato tem o tamanho um pouco maior que o Aurora Branca, com quatro grandes hastes que prendiam o gigantesco balão de ar, junto ao barco, a turbina traseira era do mesmo tamanho, mas ao invés de uma saída de descarga, haviam três. Diferente dos barcos o dirigível não tinha muitas cabines e possui apenas dois andares, o convés e um andar inferior que chamavam de porão, onde é possível estocar mantimentos e combustível. No primeiro dia em que o grande dirigível foi visto na cidade de Forhcore percebeu-se que havia uma cabine traseira no mesmo nível do convés. Ao lado direto desta pequena cabine havia uma escada com quatro degraus que dava acesso ao leme do capitão, onde uma luneta estilo Galileu ficava fixada a um tripé de ferro. O grande diferencial deste dirigível era seu novo combustível, que causava uma explosão nos ares.

 

As Carruagens de Primaki Sul. As carruagens da cidade portuária de Primaki Sul, não eram como coches convencionais. Apesar de possuírem cocheiros condutores e cavalos de grande porte à frente do veículo, a carruagem de Primaki Sul, havia sido mais um dos experimentos do grande alquimista e inventor Sr. Minur Kiwel. As rodas da carruagem eram feitas com um material de liga metálica, revestidos de borracha para o melhor atrito com o solo. Haviam também suspensões a vista, o que diminuía consideravelmente o impacto e melhorarva o comforto para que estava sentado no interior do veículo. Contudo o grande diferencial da carruagem eram seus formidáveis motores de combustão. Uma máquina distinta com engrenagens e uma turbina de propulsão na lateral. No interior da carruagem os assentos são acolchoados e confortáveis. Na parte superior da cabine pode-se observar duas lamparinas que emitem uma luz focal e no canto entre os assentos uma pequena caixa de música de madeira com detalhes em bronze junto a caixa uma manivela dourada, onde se pode rodar para ouvir o doce som da música Lunariana.

 

O Chapéu cônico de Thabillus.O Chapéu do duende Thabillus é um objeto mágico bastante conhecido entre os duendes que seguem pelos estudos da magia. O chapéu cônico se tornou comum entre os duendes pois com o uso do chapéu os duendes tornam-se muito mais altos, o que faz bem para o seu ego. Os chapéus cônicos geralmente são fontes de magias. Os duendes aprendizes apresentam um pouco de dificuldade quando sacam as magias de seus chapéus, diferente de Thabillus, um duende de muita experiência.

 

O Colar de Walkiria. O místico e rebuscado colar da bruxa do norte é um dos objetos de maior preciosidade, já que foi feito para carregar um dos fragmentos do coração de Asterium. De acordo com uma antiga lenda do norte, Walkiria ficou conhecida e temida no norte quando derrotou um antigo imperador que habitava a pirâmide das colinas onde hoje habita a temida bruxa.

 

O Relógio de Anikan. O antigo relógio circular guardado no templo do lendário kromus Filay K. Volterin, é também uma peça única. Tem o tamanho de uma mesa de jantar, daquelas modestas para 5 ou 6 pessoas. O relógio que fica sob um pedestal de madeira rústica. É feito de um material metálico, e tem seis ponteiros dourados. Em sua base é possível ver uma série de bolinhas brilhosas, como de gude, mas prateadas. Que se movem formando pequenas colunas, de baixo para cima.

Assim que as colunas atingem certo ponto elas se desmontam e recomeçam o trabalho. O relógio foi criado pelo próprio Filay, enquanto ainda era treinado pelos extintos kromus da ordem de Anikan. Este objeto foi criado para um único objetivo; dominar completamente a arte das magias dos kromus, transmutação, conjuração elemental e encantamento de objetos.Este artefato, é um dos objetos mágicos mais cobiçados pela Srta. Katryna Mithral, já que certo dia ela descobriu o verdadeiro poder do relógio. O domínio do tempo. Uma magia impossível de ser feita por qualquer mago, feiticeiro ou mesmo qualquer outro estudioso das artes místicas. Alguns dizem que este relógio, não passa de um mito. Mas a Srta. Katryna Mithral sabe muito bem que ele existe, e um dia pretende roubá-lo, e então será jovem e bela para sempre.

 

  • Twitter - White Circle
  • LinkedIn - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • Facebook - White Circle

© 2021 all rights to JG BRENE